Prova de Habilitação da SBUS comprova o anseio por qualificação médica

Diante um mercado de trabalho cada dia mais competitivo, o médico tem buscado constantes qualificações e titulações que comprovem sua capacidade em realizar um atendimento de referência para a população. A Prova de Habilitação em Ultrassonografia realizada pela SBUS durante o 22º Congresso Brasileiro de Ultrassonografia comprova esta ansiedade do médico em diferenciar-se e destacar-se por sua atuação.
Esta foi a primeira edição da Prova de Habilitação após a retomada da atividade que há muitos anos esteve presente no calendário anual da SBUS. E foi um sucesso, segundo o coordenador Leonardo Piber. Foram 81 inscritos com uma média de aprovação de 47%. “A comissão organizadora foi formada e escolhida criteriosamente. Organizamos uma avaliação que de fato correspondeu com a qualificação de quem foi aprovado”, afirma Leonardo Piber, que além da Prova de Habilitação foi o presidente da Comissão de Temas Livres do Congresso.
A prova teve 60 questões, 40 teóricas e 20 teóricas-práticas, com imagens, das diversas áreas da Ultrassonografia geral: Medicina Interna, Ginecologia e Obstetrícia, Pequenas Partes, Vascular, Músculo-Esquelético e Física. “Após uma avaliação dos resultados, foi possível fazer uma análise de onde existem as maiores dificuldades dos médicos que atuam em Ultrassonografia e, a partir de agora, poderemos trabalhar melhor estes temas nos programas científicos das Jornadas das Federadas e também nos eventos nacionais”, ressalta Leonardo Piber. “A intenção é agregar, educar e melhorar a qualidade da Ultrassonografia”, pontua.

PRÓXIMAS EDIÇÕES
Para o próximo ano, o objetivo é incluir, na medida do possível, a avaliação prática que é muito valorizada pela SBUS. “A tendência é aumentar a quantidade de interessados, inclusive muitas pessoas que prestaram a prova já possuem outros títulos em Ultrassonografia e Imagenologia. A classe médica é inquieta, mesmo com uma titulação, busca outras qualificações. É uma maneira de se diferenciar no mercado que em breve estará saturado principalmente diante a abertura indiscriminada de faculdades de Medicina nos últimos anos”, argumenta.

BENEFÍCIOS À POPULAÇÃO
Leonardo Piber frisa que existem máquinas de Ultrassom em várias cidades em todo o Brasil. Além disso, pessoas de outras especialidades decidem trabalhar com a Ultrassonografia, o que torna o método cada dia mais acessível. “Precisamos qualificar estas pessoas, que muitas vezes não encontram esse acolhimento em outras entidades. A SBUS ultrapassa os consultórios para qualificar os médicos no atendimento direto à população”, salienta.

Abrir Whatsapp
Olá, em que posso te ajudar?

Para melhorar sua experiência de navegação, utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes. Ao continuar, você concorda com a nossa política de privacidade.